segunda-feira, 12 de março de 2012

A tua Família do lado da mãe

Filha/o, hoje e muito resumidamente, conto-te sobre a família que te espera.

Do lado da mãe não somos muitos. Quer dizer, somos mas as coisas nem sempre são como supostamente deveriam ser e daí só podermos contar com alguns.

A bisavó N. que já conta com 80 anos neste momento e que é a única avó que tenho viva.A avó N. e o avô A. criaram-me desde que nasci, infelizmente o avô A. - teu bisavô - já não está entre nós. Sei bem o quanto te iria amar e ficar feliz contigo no entanto sei que onde ele está faz figas para que venhas ao nosso encontro.
A avó N. diz imensas asneiras e desculpa-se que esteve muitos anos a viver no Porto - 2, apenas - mas é isso mesmo que lhe dá graça. É a pessoa mais prestável que conheço mas com a idade também acha que tem direito de mandar em tudo e todos e nós aceitamos isso, claro. Enquanto cá estiver nos anos que lhe estão reservados o nosso mundo pertence-lhe. É pequenina mas rápida, gorducha e alegre, vaidosa e cheirosa. Vestiu as suas primeiras calças de ganga 5 anos depois de estar viúva. Nesse dia chorou. Vai a excursões e dança imenso. Já lhe disse para arranjar um namorado mas ela diz que não quer. Se a avó for ainda viva nos anos em que já percebas algumas coisas, entenderás que ela sabe de coisas que tu pensas que mais ninguém sabe ainda antes de as pensares e muitas vezes aliado aos facto de ela exagerar nas histórias que conta e daí todos se rirem. A bisavó N. é muito, muito mas muito especial! Tenho imensas histórias dela e do avô A. para te contar e te orgulhares de pertenceres a nós.

Tens o avô J.F. e caso sejas rapaz és capaz de herdar o nome dele e do teu avô paterno visto serem iguais - ainda não sabemos. O avô é um ser espectacular e será, sem duvida, um dos teus melhores amigos e companheiro de brincadeiras. O avô é muito brincalhão mas muito sensível e verdadeiro. Amo-o muito e o pai adora-o! Ainda é novo pois foi meu pai com 25 anos - quase a idade que tenho de momento - e daí ainda conseguir subir a árvores e procurar ninhos de pássaros. O avô está divorciado da avó vai para 8 anos. Não foi bonito de se ver e tanto tempo volvido ainda não se falam. No fundo ainda se amam à sua maneira mas as coisas são tão difíceis de explicar que aos poucos e quando fores mais velha/o pode ser que as entendas melhor que eu e quiçá os possas unir, não como homem e mulher, mas como teus avós. O avô tem uma companheira a A. e a A. gosta dele e trata-o bem e é disso que ele precisa. Poderás ouvir desaforos da mãe em relação a isso mas lembra-te sempre que a A. trata bem o avô J. F. e isso é o mais importante. Fazes o favor de relembrar a mãe disso de vez em quando...

A avó L. gostava que tivesses o nome dela caso sejas rapariga mas estamos indecisos entre Letícia e Eva. A avó L. é o ser mais complexo da tua família, tão complexo que no momento em que te escrevo ela está de relações cortadas com a mãe por um motivo digamos que... parvo! Como sempre a mãe deixa as coisas andarem mas toda esta ansiedade de te querer e não ter a avó L. para me apoiar arrasa-me. E porque não falas com ela, mãe, perguntarás tu? Como diz o anúncio, poder, podia mas não era a mesma coisa ou já não seria a mesma coisa. A mãe está cansada de lutar pela a avó L. e só com muita paciência do teu pai e o seu suporte consegue lidar com estes sentimentos. A avó L. quer que a aceitem como é mas não aceita aquilo que os outros são. Independentemente de tudo o que possa dizer dela é minha mãe e amo-a como tal. Se estiver doente ou triste correrei ao encontro dela para a apoiar mas cansei-me de a embalar. Agora colinho só para ti, filha/o.

A tia P. é a irmã da mãe. É filha da avó L. mas não é filha do avô J. F. contudo é como se fosse apesar de estarem anos sem se verem. Antes nada disto funcionava assim e acredita que custou imenso à mãe de um momento para o outro perder os almoços de família ao domingo em que todos nos reuniamos e nos divertiamos com histórias.
A tia P. tem mais 12 anos que a mãe e tomou conta de mim como uma mãe quando a nossa não estava perto. Apoiou-me imenso quando precisei e não o esquecerei o quanto me fez lutar. Se ela conseguiu eu também conseguiria, pensava. E consegui! A tia é uma pessoa que parece ser muito forte mas há um segredo, ela tem é uma armadura. Acredito que, tal como eu, sofre por a nossa mãe não ser a pessoa presente que precisávamos. Presente de forma positiva não imposta por ela mesma. Adiante...

A tia P. é casada com o tio A. há muitos anos e têm uma filha, tua prima e minha sobrinha, a A.C. com 15 anos. A A. é um às no basquete! É uma miúda sensível mas forte, inteligente e perspicaz. Tenho orgulho nela e apesar de sermos tia-sobrinha, creio que a nossa relação em tempos baseou-se mais em irmãs pela proximidade de idades. Desejo para ela tudo o que te desejo, filho/a. Que a vida lhe seja dada com intensidade e saboreada com uma ilimitada conta de sabores de todos os tipos de forma a que possa escolher os que mais a podem saciar.

Uma coisa engraçada nisto tudo, a avó L. teve a tia P. com 18 anos praticamente, mais tarde casou-se com o avô J.F. que tinha menos 5 anos que ela e apenas uns 13/14 de diferença da tia P.. A tia P. foi mãe da A.C. com 21 tinha a mãe 8/9, fui portanto tia com essa idade e os avós L. e J.F. com 39 e 34 respectivamente. A tia P. tem do lado do pai mais 2 irmãos, um com a idade da mãe mais ou menos e outro mais novo que a A.C. portanto a A.C. tem um tio mais novo que ela. O avô J.F. tem mais 16 anos que a A. pelo que a A. e a mãe têm apenas 9 anos de diferença. A tia P. é mais velha que a companheira A. do avô J.F. que acha que as mulheres devem ser novas. Quando o teu pai nasceu o avô J.F. tinha 17 anos.

Tenho tanto para te contar...


Quanto à família do lado do teu pai será ele a tomar as rédeas :)

Sem comentários: