quinta-feira, 14 de junho de 2012

Era uma vez no Alentejo...

Como já deves ter reparado, o teu papá é Alentejano. A mamã é Ribatejana. Um de além do Tejo, outro arriba dele, os dois juntaram-se e olha lá vens tu!

Tu, se tudo correr bem, serás Alentejana também. Nascerás em Évora, bonita e histórica cidade e eu tenho orgulho que assim seja!

Porém, quando nasceres, viverás numa aldeia pertencente a Borba. Mais concretamente, Santiago de Rio de Moínhos (ou Rio de Moínhos).

Quando o teu pai me trouxe pela primeira vez fiquei apaixonada pela aldeia. Viemos num fim de semana e quando regressei a Lisboa no domingo à noite só me apetecia voltar para trás. Decidi que seria aqui que gostaria de passar a minha vida e nunca mais regressar ao pesadelo citadino. O teu pai teve medo que eu me fartasse disto porque estava habituada a um estilo de vida completamente diferente e até ele que já tinha saído da aldeia havia tanto tempo. Mas tal não sucedeu. Nunca fui tão feliz num sítio e sinceramente de nada sinto falta da grande cidade. Nem de centros comerciais, cafés e bares cheios, trânsito, transportes apinhados e pessoas feias e carrancudas todo o dia. Nada disso me deixa saudades e quanto mais longe melhor. Por vezes vamos a Lisboa visitar os teus avós mas quando lá vamos estamos desertos de voltar para casa.

Sei que um dia te revoltarás por viver aqui e não na Capital onde tudo parece acontecer. Contudo saberás, mais tarde, que o fizemos por ti e para teres a qualidade de vida que achamos que precisas para crescer de forma saudável. A cidade nada te trará de bom, acredita. Quando deres por ti poderás estar perdida e aí quererás voltar para casa com a certeza que te acolherão de braços abertos. Aqui as pessoas são genuínas, cada um tem a sua maneira de ser e todos se aceitam. Cada aldeia tem as suas personagens que fazem rir. E um dia quando viajares para outro ponto do mundo repararás que haverá sempre um Alentejano!



E foi aqui que me rendi...























 A mamã acha que a única coisa agradável que Lisboa tem é a Baixa e o IKEA...



8 comentários:

Katy disse...

Realmente, não há nada como o Alentejo! Nunca vivi numa grande cidade, a minha é pequenita, mas também não queria. Para mim, ir à cidade é só para ir a grandes superficies ou passear, mas só isso.

Os meus pais têm uma casinha modesta com um grande quintal, e nele fui sempre muito feliz. Corria descalça no meio da terra e das pedras e era uma alegria! Tive sempre animais, muitos cães na maioria, ainda hoje lá tenho 3. Para mim, nada bate viver a nossa infância num lugar calmo e próximo da natureza.


Espero para a tua menina Eva (já agora parabéns pela confirmação, e adoro o nome!) o mesmo que eu tive ou melhor, pois foi muito bom!


Um beijinho! :)

Sarokas disse...

lindo sitio para a Eva crescer e viver na natureza! ;)

Pobre(o)Tanas disse...

Katy, obrigada!!! Olha que também cresci no campo com os meus avós mas quando fui para a faculdade fui viver para Lisboa e aí me mantive até vir para o Alentejo. Sei o que é viver assim no campo pois já o vivi porém é mais fácil habituares-te às facilidades da Cidade que ao contrário se nunca viveste no meio da bicharada e até que podes ficar como que "viciadas" nessas mesmas comodidades! Tive uma infancia super feliz mas essas historias ficam para outro dia porque são muitas mesmo :D E sim também andei descalça pela terra e tinha os pés tão calejados que nem sentia os picos ou pedras ahahahahah Beijinho minha linda!

Pobre(o)Tanas disse...

Haverá melhor? Tens de pensar no mesmo para o Martim :)

Gaiatas disse...

Imagens lindas :)

Eu também sou Alentejana, e tive o mesmo percurso que tu.. fui estudar para Lisboa e lá voltei para cá e agora que tenho família acho que é o melhor sitio para eles crescerem.. mas é como dizes.. as cidades têm tudo à mão e por cá não.. temos de fazer mais de 100km para encontrar um centro comercial onde encontramos roupas em conta, pois aqui tudo é mais caro..
Para as crianças crescerem é o melhor, sem dúvida.

Uma beijoca *

Catita disse...

Que sítio maravilhoso e lindo onde vives. Eu também vivo no campo, mas não num sítio tão mágico. A tua Eva vai adorar, vai ser uma "Heidi" versão portuguesa e ... alentejana.

Pobre(o)Tanas disse...

Eu bem me quis parecer que eras Alentejana so pelo título do teu blog ;) Mas olha antes não termos nada à mão e sermos felizes a viver num sítio sossegado! Não troco isto por nada! Mas é como dizes temos de fazer uma carrada de km's para isto ou aquilo. Por vezes vale mais comprar aqui perto mais caro porque o dinheiro que vais gastar no gasóleo ou gasolina não compensa o preço daquilo que vais comprar mais barato.

Beijinho!!!

Pobre(o)Tanas disse...

Catita, verdade! A Eva vai ser a Heidi Alentejana ahahahahah sou completamente apaixonada por esta terra! É amor mesmo!!! Beijinho linda!