sábado, 15 de junho de 2013

Desabafo... (e as algumas melhoras)


Não querendo atirar foguetes antes da festa, esta foi uma noite pacífica! Comeu a sopa toda ao jantar, tomou um belo banho e caminha. Acordou uma ou duas vezes até às 5 e meia porque perdeu a chucha e estava quente. Tomou novo ben-u-ron e dormitou até às 9 e meia! Comparada com as outras noites anteriores foi, sem dúvida, descansada! E acredito que tal como nós também ela precisava.

Porém não foram só as melhoras da minha filha que me fizeram vir aqui escrever. Vim porque precisava mesmo de "exorcizar" o que aconteceu ontem, que mostra bem o quão as pessoas são metidas e mal educadas.

Normalmente tento levar as coisas na boa mas ontem caiu-me mal. Caiu mesmo e nem foi pela atitude em si foi pela "fuga do rabo à seringa". E passo a explicar:

Viver numa aldeia tem muitos prós mas tem um contra que me faz bufar qual gato. E o contra é toda a gente querer saber de toda a gente mesmo quem não conhece. Como nunca nada se passa por cá normalmente temos a porta destrancada. Claro que como vivemos em cidade há uns anos são mais as vezes que está trancada por hábito mas ontem não trancámos. Mas também sabemos que existe educação e ninguém mete a mão à porta assim do nada. Pelo menos era o que pensávamos...

Estava a aspirar a Eva no quarto, na nossa cama. Ela chorava imenso porque detesta e eu tentava acalmá-la.  O pai estava na cozinha a preparar qualquer coisa e batem à porta. É que nem esperaram que o meu homem fosse abrir. A ave rara abre-a e enquanto entra (enquanto entra!!!!) pergunta se pode. O meu homem encolhe os ombros do género "Já cá estás..." e ouve a pergunta da praxe: "Ah a Eva??" e diz-lhe "A menina está doente e com febre no quarto por isso..." como quem diz "Vai lá à tua vida que agora estamos num momento complicado". Pois que a ave rara entra-me pelo quarto dentro (eu em soutien e cuecas), senta-se na nossa cama (algo super intimo para alguém com roupa da rua sentar-se assim...) e dá um beijo à minha filha que coitadinha não bastava já estar doente como estava ainda leva beijos de quem nem consideramos amiga, apenas conhecida.

Ia-me caindo tudo! Não bastando isto, o que mais me custou foi pensar que podia ali ficar a ver, depois como lhe meteu nojo a aspiração da ranhoca, levantou tenda e com um "Se precisares de alguma coisa diz!" e ala que é cardoso! Boa se precisar de alguma coisa digo? Não aguenta com duas chupadelas de ranhoca e se eu precisar para dizer? Dizer o que?

Incomoda-me profundamente o descaramento desta gente a entrar-me pela casa dentro, sermos apanhados de surpresa e nada dizermos e ainda virem aqui só METER O BEDELHO para andar aí a espalhar pela aldeia que a criança está doente, que ambas estamos doentes. E incomoda-me também saber que só vieram cá a casa porque a ouviram chorar da rua. Eu acredito piamente que devem pensar que não sei cuidar da minha cria! Juro! As pessoas pensam que como não temos pais por trás de nós para lhe entregarmos a miuda e irmos bater perna para a farra, que só podemos contar um com o outro, que somos alguma espécie de irresponsáveis.

Se fizemos um filho é para tomar conta dele. Não a delego a ninguém. A responsabilidade é apenas e somente nossa.

Mas doi. Doi porque me senti exposta. E doi ainda mais não ter conseguido dizer nada...

Doi pensar que julgam que ela chora porque a pendurei de cabeça para baixo e lhe estou a bater com um pau a ver se sai algum rebuçado, tipo piñata...

Estas mentes metem nojo!


13 comentários:

Leonor disse...

eheh, parabéns pela noite bem passadinha e as melhoras para a menina...
E olha muita paciência para essas pessoas é o que te digo!
Beijocas :)

IzZie disse...

É, de facto, o contra de morar numa aldeia!!!Nunca gostei que se pusessem na minha vida, então entrarem pela casa a dentro, nem familiares quanto mais desconhecidos....Para a próxima(deus queira que não haja!) tens mesmo que dizer qualquer coisa...então e a privacidade?!?!E se tivesses nua?!?!há pessoas com uma estupidez e um descaramento gigante!!!até eu me revoltei mulher!!!!

Olha...as melhoras da Evita...e uma noite tão boa, ou melhor, que a de hoje!
Beijão!!!*****

Neuza disse...

Estou chocada, para dizer a verdade. Sou da aldeia e nunca aconteceu uma cena dessas, mesmo com a porta destrancada. As pessoas abriam e perguntavam se podiam entrar e consoante a resposta lá entravam ou não. Estou mesmo chocada...a sério! Se tivesses nua era igual...isto realmente.
As melhoras :)

Katy disse...

Eu nem sei o que dizer. Acho que se fosse eu, a ave rara nem tinha tempo de se sentar, havia barraca de certeza! Mas agora chegámos a isto, entra-se assim na casa das pessoas?? Por amor de deus.. tá bem que vives numa aldeia, mas lá por serem gente de aldeias não significa que não tenham maneiras. O pior é que mesmo sabendo ter maneiras, não as querem ter. Sinceramente... ainda por cima tu quase despida...... meu deus.

Tranca a porta sempre, para não teres mais surpresas. E da próxima não te fiques querida, que isso é falta de respeito como nunca vi!

Beijoca, ainda bem que a Eva está melhor :)

Anónimo disse...

para quando uma pagina no fb do blog?

Pobre(o)Tanas disse...

Ai meninas sério, fico possessa com isto! Normalmente não ligo mas desta vez e como já foram mais vezes com esta mesma pessoa começo a ficar mesmo saturada! :S Felizmente que estamos quase a mudar de casa e na outra os cães ficam soltos em frente à porta de entrada o que me dá muito mais privacidade! Obrigada pelo carinho e melhoras da minha pirrolha!

Quanto ao blog no FB ou FB do blog ainda não é algo que pense fazer. Um já dá trabalho... Beijinhos a todos!

ML disse...

Estou para cair... estou parva com o que contaste! :o

Tu tranca-me é a porta e ignora essa gente!

Beijinhos especiais!

Pobre(o)Tanas disse...

ML e o pior é que hoje tentou o mesmo... Estou possessa. Mas pronto vamo-nos mudar e esta coisa acaba!

Beijoca

Catita disse...

Minha querida amiga, fico feliz que as coisas estejam mais calmas e a Eva um pouco melhor. Quanto à situação pela qual passaram, nem queria acreditar no que estava a ler. Há pessoas que não têm mesmo noção do que é privacidade. Já quando trabalhava em Chaves num Lar de Terceira Idade, havia familiares dos idosos que queriam o meu número de telemóvel e saber onde eu morava. Ora é claro que nunca forneci essa informação pois já sabia o que me esperava. Há pessoas que abusam e não têm respeito pelos outros. Mas depois quando mudarem de casa as coisas vão mudar. Obrigada pelo teu comentário no nosso blog.

Nany disse...

A sério? Mas as pessoas andam doidas ou quê?
Tenta não ligar, eu sei que é mais fácil falar, mas abstrai-te ao máximo dessas pessoas.
As melhoras rápidas da tua menina.
Bjks

Moa disse...

Ai meu Deus, não há palavras. Para a próxima nao guardes nada para ti...tu manda vir. e tranquem a porta!As melhoras para a Eva

Jo disse...

Pessoas sem noção!

Pobre(o)Tanas disse...

Felizmente que na casa nova não há-de aparecer ;)