terça-feira, 29 de outubro de 2013

330 dias de Eva :)


Dias marcados pelo aparecimento de mais um "ratinho". Agora tens dois à espreita que te dão um sorriso único e lindo, filha!

Andas super mimocas connosco mas mais comigo. Queres o meu colo a toda a hora, beliscar-me, babar-me, manifestar o teu amor. Esses olhões enormes em mim, pestanas compridas que um dia farão furor com um bom rimel e eu deliro de paixão. Rendo-me ao amor :)

Levaste a tua primeira "sapatada" na mão. Tiraste-me os óculos e mandaste-os ao chão. A mãe andou dias e dias a avisar-te para que não o fizesses mas a teimosia... Uma palmadinha pequenina na mão e umas horas depois quando os ias tirar novamente lá te lembraste, deteste o gesto e como quem tenta fingir falta de interesse, fizeste-lhes "adeus". Ri, pois! Achei um piadão!

Já apontas para as fotos se perguntarmos onde está o "Papá" e a "Mamã". 

Ficas de pé encostada à parede e sem apoio ;)

Gatinhas pela casa toda mas se for na tijoleira fria levantas o rabo e os joelhos e vais tipo macaquinha só com as mãos e pés no chão :D 

Perguntamos "Quantos anos faz a bebé?" e tu espetas o indicador: 1!!!

Quando pedimos para fazeres "adeus", bates palmas. Pedimos que digas "papá" e sai um "dá-dá". Mas se dissermos "Já está", dizes "'Tá-tá".

Estás sempre a dançar. Adoras música.

Já caiste muitas vezes mas não ganhas medos. Tens uma ferida no lábio por uma queda logo de manhã cedo que nos deixou doridos por dentro. Choraste uns segundos mas depois o colo e beijos fazem milagres como sempre.

Tens dormido quase todas as noites connosco. E sabe bem :) Mas a mudança de horário faz-te acordar às 5 da manhã a bater palmas como se fosse dia de festa.

Passaste a detestar andar de carro e por-te na cadeira é um filme mas com cantorias, palmas, sorrisos e sons lá te levamos a fazer o que queremos. 

És, no entanto, um doce de menina. Apesar da tua personalidade forte, pois sei que serás dificil de quebrar pela vida, podes vergar-te mas não quebrarás, há em ti amor que distribuis alegremente por todos com sorrisos, festas, danças, há em ti uma alegria enorme, uma vontade de absorver tudo ao teu redor e isso faz-te tão especial como o são para ti todos os que te rodeiam.

Como se notam tão bem estas característas em ti apenas com 10 meses, filha. Como tens crescido e como te tornaste tão maior que o mundo...



--------------------------------------------------------

A todos que nos seguem, pedimos desculpas pela ausência de posts e visitas aos vossos cantinhos mas andamos a 1000 à hora nos ultimos tempos! Sair de casa de noite, chegar a casa de noite, o pouco tempo restante para amar e ser-se amado pelos nossos. Vocês sabem :)

Beijo enorme sem excepção.

Bem hajam pelo carinho de sempre :)



sábado, 19 de outubro de 2013

Habemus dens!!!


Apenas um! Mas arranha que se farta :D

Filha, ficámos felizes! Muito! Por todo o sofrimento das últimas semanas já merecias o teu primeiro dente a romper. 




Aos 10 meses, 2 semanas e 2 dias! :)




domingo, 13 de outubro de 2013

Dentuças!


Aos 10 meses, 1 semana e 3 dias nem sinal de dentes.

Imensas dores, noites mal dormidas (oh noites...) e muitas birrinhas que te fazem chorar com vontade.

Custa-nos, parte-nos o coração ver-te assim, filha, e os malditos nem aparecem :(

Não podemos fazer muito mais a não ser esperar enquanto te pomos o gel para te aliviar a dor...





(Imagens da Web)


Prometo-te que quando aparecerem ralhamos com eles, sim???





quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Que amor este...?



Sentes, Eva?

Que amor este, guloso, que nos enche as veias de açúcar e o coração de algodão doce, nos faz cair à cama volta e meia com crises de diabetes?

Que amor este, furtivo, que nos cria asas, faz levitar e cujo trem de aterragem falha 99,9% das vezes após as 3 da manhã?

Que amor este, inebriante, que nasce em nós sem termos aprendido ou estudado para mas cujos manuais nunca são adequados ao nosso caso?

Que amor este, voraz, que nos faz correr para não perdermos um segundo mas também nos faz andar em câmera lenta quando passamos 10 meses a dormir mal?

Que amor este, imenso, que nos faz tirar-lhes os macaquinhos sem lenço de papel porque são macaquinhos dos nossos filhos apesar dos dos nossos amigos chegados serem nojentos?

Que amor este, louco, que apesar de estarem borradinhos nos faz pensar que os nossos filhos são os mais cheirosos do mundo?

Que amor este, tamanho, que nos faz aturar birras que não toleramos nos outros mas que com os nossos as doses de paciência vêm em balões de soro sem quebra de stock?

Oh que amor este, estranho, que é tão grande e gigante, tão poderoso e forte?

Que amor este, supremo, que não acaba pelos filhos nossos?

Seja para um, dois ou para trios de três aos pares, para dúzias de doze, milhares de milhões?

Que amor de amor.

Que amor!

Eva, sentes?



Pobre(o)Tanas